[vc_row][vc_column width=”3/4″][vc_custom_heading text=”” font_container=”tag:h3|text_align:left” use_theme_fonts=”yes” el_class=”no_stripe”][stm_post_details][vc_column_text]A solução será empregada em novo programa do ministério, que prevê uma economia de R$ 124 milhões por ano

São Paulo, 24 de março de 2021 – O Ministério da Educação (MEC), em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), lança, nesta quarta-feira (24), o ICPEdu – Programa Nacional de Certificado Digital da Rede de Educação Federal. O serviço viabiliza a emissão ilimitada de certificados digitais pessoais para alunos, professores e funcionários para serem utilizados em processos e sistemas acadêmicos. 

Certificados digitais são documentos eletrônicos que servem como uma identidade virtual, utilizados para validar a identificação de usuários em diversos procedimentos digitais. Para tanto é necessária uma infraestrutura de chaves públicas ou “ICP”. No caso da ICPEdu, diversas instituições colaboraram no desenvolvimento do sistemas sob a coordenação da RNP, a exemplo da UFSC, Unicamp e UFMG, sendo a Kryptus a responsável pelo fornecimento dos módulos de hardware criptográficos utilizados. 

“O HSM funciona como um cofre digital para armazenamento e gerenciamento dessas chaves”, explica Roberto Gallo, diretor geral da Kryptus. Com HSM, o MEC pode definir quem tem permissão para acessar as informações, bem como o escopo e a atribuição de suas funções. A Kryptus não tem acesso, nem pode ver as chaves armazenadas neles. 

Na visão de Gallo, a ferramenta digital contribui diretamente para o processo de transformação digital nas universidades, possibilitando a automação e simplificação de processos acadêmicos. O serviço estará disponível a todas as Instituições de Ensino e Pesquisa Integrantes do Sistema RNP, contribuindo, assim, para a Estratégia de Governo Digital do Brasil, capitaneado pelo Governo Federal. 

Dentre os benefícios do novo serviço destacam-se a agilidade, uma vez que os certificados digitais pessoais do ICPEdu serão emitidos em menos de um minuto, a qualquer hora do dia pelo próprio usuário pois está integrado à federação acadêmica de identidade, a CAFe; potencial de economia  R$ 124 milhões por ano para o MEC; e credibilidade, pois o Certificado Digital pode ser utilizado para assinar com confiabilidade um documento digital. 

Com esse serviço garante-se que o documento foi realmente assinado pelo usuário e não por alguém que está falsificando a assinatura.

Além disso, o certificado digital pessoal poderá ser utilizado como chave de acesso a sistemas específicos, uma alternativa aos “login e senha”.                           

Mais informações estão disponíveis em gov.br/mec/icpedu. [/vc_column_text][stm_post_tags][/vc_column][vc_column width=”1/4″ offset=”vc_col-sm-offset-0 vc_hidden-sm vc_hidden-xs”][stm_sidebar sidebar=”9356″][/vc_column][/vc_row]