WhatsApp é seguro para enviar e receber dinheiro

WhatsApp é seguro para enviar e receber dinheiro? Há risco de golpe?

Com o lançamento do WhatsApp Pay, nova funcionalidade do aplicativo de mensagens instantâneas, as pessoas que usam o WhatsApp poderão enviar e receber transferências de valores com a mesma facilidade que enviam áudios, vídeos ou fotos. 

Por enquanto, somente quem possui cartão de duas marcas e que são clientes de nove empresas financeiras do Brasil é que poderão utilizar desse sistema.

Com o histórico de golpes, fraudes e vazamentos de dados no mundo digital, alguns usuários do WhatsApp estão preocupados com a segurança do sistema para enviar dinheiro. Isso porque, para realizar a transação no aplicativo é necessário incluir os dados de um cartão de credito e criar uma senha, o chamado PIN.

Como o WhatsApp protege o sistema de pagamentos?

Segundo o WhatsApp, as transferências e os pagamentos são protegidos por várias camadas de segurança, como o PIN (senha) do Facebook Pay e a biometria (uso da impressão digital) em dispositivos compatíveis. 

Veja abaixo as tecnologias usadas pelo WhatsApp para evitar que os dados vazem durante as transações.

Criptografia entre o telefone da pessoa e os servidores do WhatsApp: Simplificando, essa tecnologia faz com que as informações sejam desmontadas na hora do envio, para viajar no mundo digital assim, desmontadas, e só serem remontadas quando chegarem ao destinatário.

Acesso limitado e monitoramento: O armazenamento de dados avançados contém várias camadas de proteção tanto nos equipamentos (hardwares) como nos programas (softwares). O acesso a esses dados nos servidores do Facebook Pay é extremamente limitado e monitorado o tempo todo pela companhia.

Biometria: A pessoa só pode enviar dinheiro de conta do WhatsApp se fornecer as informações corretas de cartão e verificar se ela é um usuário autorizado. 

Outras barreiras de segurança Limites de operações: O WhatsApp definiu limites de transações para cada pessoa no envio de dinheiro pela plataforma. Essa é uma forma de reduzir o risco de golpes e fraudes. As pessoas podem enviar até R$ 1.000 por transação e receber até 20 transações por dia, com um limite de R$ 5.000 por mês.

Início aos poucos: Segundo especialistas em segurança cibernética, a decisão do WhatsApp de começar a oferecer o serviço de envio de dinheiro aos poucos é positiva porque assim as empresas envolvidas -Facebook, bancos e operadoras de cartões – poderão monitorar a evolução das transações e corrigir alguma falha.

“A infraestrutura é segura porque utiliza a mesma dos cartões, seguindo os mesmos padrões de tecnologia e de segurança. Novas soluções de pagamento são sempre positivas para os consumidores e para as fintechs. É mais uma forma para adquirir um novo usuário, construir novas soluções. O WhatsApp não é uma utilidade fim, mas uma forma de oferecer uma solução. Por enquanto, está restrito a algumas instituições financeiras, mas isso vai ser ampliado para outras empresas” Marcelo Martins, diretor-executivo da ABFintechs (Associação Brasileira de Fintechs)

E se a conta de WhatsApp for clonada?

Em caso de invasão de uma conta do WhatsApp, como o golpista instala essa conta em um dispositivo diferente, ele não conseguirá realizar pagamentos, pois é necessário o uso do PIN do Facebook Pay ou da biometria para confirmar a transação. 

Além disso, se a conta do WhatsApp for instalada em um novo aparelho, as informações de pagamentos são automaticamente redefinidas (reset), evitando que golpistas tenham acesso à sua conta do Facebook Pay. 

E se enviar dinheiro para a pessoa errada?

Situação muito comum. Você está com várias conversas simultâneas no WhatsApp e envia uma mensagem por engano ao destinatário errado. Quem nunca, certo? Caso uma transação seja feita por engano, a devolução do dinheiro vai depender da vontade de quem recebeu, pois o sistema não tem como cancelar a transação já finalizada.

“Não existe sistema 100% seguro porque sempre há tentativas de ataque. Mas levando em conta uma análise de toda a infraestrutura que está sendo utilizada pelo WhatsApp e empresas parceiras, a gente considera que, sim, existem diversas camadas de segurança para o usuário” Rafael Cividanes, diretor de cibersegurança da Kryptus

Recomendação de especialista

Mas, segundo o diretor da Kryptus, os ataques aos usuários de WhatsApp vão crescer, e será preciso ter mais atenção. 

“As pessoas vão receber mais mensagens com alguém pedindo os dados do cartão do usuário para poder enviar dinheiro pelo WhatsApp. Redobrar cuidados também é fundamental.” Rafael Cividanes

“Os cuidados são os mesmos que as pessoas têm quando usam Pix, cartões ou contas bancárias. Vale pode incluir uma senha para acessar o WhatsApp no caso de quem ainda não criou essa senha.” Marcelo Martins 

Fonte: UOL

trabalhe na kryptus

Nosso time é composto pelos melhores profissionais do mercado: aqueles que se destacam pela expertise, agilidade, pensamento inovador e capacidade técnica, valorizando desafios e acreditando ser possível transformar o mundo em um lugar melhor